Check-up renal

   Algumas doenças renais apresentam a característica de serem de instalação insidiosa, silenciosa, isto é, poderão se manifestar com sinais e sintomas apenas quando em fases mais avançadas da doença, quando complicações às vezes até irreversíveis já se instalaram. Deste modo, como sempre em medicina e em matéria de saúde, melhor prevenir que remediar; depois, melhor remediar que ignorar; usar todas as armas (ferramentas) disponíveis para lutar pela saúde, e a principal é a informação.

   Como prevenir? Fazendo um check-up renal, que é uma avaliação feita pelo médico nefrologista em pessoas aparentemente saudáveis ou não, com o objetivo de detectar doenças nos rins precocemente, ou seja, no início do problema, bem como verificar se há alguma tendência para desenvolver uma doença renal. Além disto, esta importante ferramenta poderá desacelerar a doença já instalada, ou seja, estabilizar o quadro evitando uma progressão rápida para estágios avançados da doença renal, conhecida como doença renal crônica. 

   Desta forma, medidas como dieta, mudança de hábitos de vida e medicamentos  poderão ser adotadas para prevenir o desenvolvimento da doença crônica dos rins e, sobretudo, a evolução para a necessidade de se submeter a terapias dialíticas e substitutivas renais.

   O check-up renal deverá ser feito periodicamente pelas pessoas nas seguintes situações: presença de sinais e/ou sintomas como inchaço, urina espumosa, sangue na urina, acordar a noite várias vezes para urinar, além de dor ou dificuldade para urinar; pessoas com diagnóstico de diabete melito, hipertensão arterial (pressão alta), nefrolitíase (cálculo renal ou pedra nos rins), história de infecções urinárias, cistos renais, uso frequente de antiinflamatórios ou tratamentos tais como quimioterapia e radioterapia (em órgãos intra-abdominais), histórico pessoal de cardiopatia, doença prostática ou em bexiga, lúpus, ou relato de doença renal na família.

   Na consulta médica será feita uma investigação clínica através do histórico e do exame físico do paciente, além de solicitados exames complementares conforme indicação. Estes são laboratoriais e de imagem. Os mais importantes são a dosagem da creatinina no sangue e o sumário de urina. A creatinina permite que tenhamos uma estimativa de como está o funcionamento dos rins.

   A hipertensão arterial e o diabete são as principais causas de doença renal crônica. Esta, por sua vez, é uma doença de instalação lenta, progressiva e habitualmente silenciosa, e não resulta, inicialmente, em sinais e sintomas que despertem no paciente a sensação de estar com um problema renal, até que esteja em um estágio mais avançado. Grande parte dos pacientes portadores de doença renal crônica buscam acompanhamento nefrológico em uma fase tardia e alguns quando já é grave a insuficiência renal, com indicação de iniciar tratamento dialítico.

   O check-up renal é uma ferramenta importante na busca da prevenção da doença renal crônica, devendo ser recomendada a todos os casos com potencial de desenvolvê-la.